Caixinha de Correio #10


Volto depois de mais um longo tempo ausente. Já são tantas caixinhas de correio atrasadas, mas hoje trago livros especiais que comprei porque são da I Feira do Livro da minha cidade. PRIMEIRA! Estou muito orgulhosa por Jaguaruna sediar um evento cultural que incentive e promova o contato dos jovens com livros atuais e maravilhosos. Confira o que comprei (:

Sangue Na Neve - Lisa Gardner

Eu simplesmente procurei qualquer livro dessa escritora pelos stands. Já li Esconda-se e amei, Lisa realmente é uma escritora de mão cheia.
















Dizem Por Aí... - Jill Mansell

Não conhecia esse livro, mas gostei da sinopse. Além da capa que achei romântica *-*














Romeu Imortal - Stacey Jay

Há um tempo atrás comprei o livro Julieta Imortal e adorei! Estava louca para ler Romeu Imortal, e quando o vi na Feira não resisti <3














Esta É Uma História De Amor - Jéssica Thompson

Sabe quando uma capa te seduz e você o deseja mesmo sem ter conhecimento do que se trata? Foi assim com esse livro. Achei a capa fofa *-* Super romântica e adolescente, rsrs. É o primeiro que estou lendo dos livros comprados na Feira.













Quero Ser Seu - Bella Andre

Capas pretas me seduzem! Eu não poderia deixar de comprar uma assim :P Gostei da sinopse e da capa *-----*















Devoção - Dicky Hoyt e Don Yaeger


Conheci essa história quando lia sobre Nick Vujicic, que amo também. Adoro histórias de superação, e Devoção é pura emoção. Não via a hora de ter esse livro <3























Resenha: Conspiracy 365 - Janeiro

  • Editora: Fundamento
  • Autora: Gabrielle Lord
  • Páginas: 141
  • Titulo Original: Conspiracy 365 - January
  • Nota: 
  • Skoob

Janeiro
Callum Ormond ficou aterrorizado ao ouvir, na rua, tais palavras de um homem desconhecido. O aviso significava que a doença que matou seu pai não tinha sido mera fatalidade? O alerta estaria ligado à carta que o garoto havia recebido do pai na qual dizia ter feito uma grande descoberta que mudaria a História e os rumos de sua família? Teria algo a ver com o desenho que viera junto?

O jovem, porém, não teve tempo para refletir. De repente, coisas estranhas começaram a acontecer: no ano-novo, o barco em que Callum saiu para dar um passeio quase afundou no mar. A casa onde vivia com a mãe e a irmã foi invadida. Depois veio o sequestro. Tudo o que os bandidos queriam era uma resposta - o que o garoto sabia sobre a Singularidade Ormond?

Do dia para a noite, Callum viu sua rotina se transformar em uma caçada, em que ele era o alvo de pessoas perigosas, capazes de tudo para obter informações sobre o segredo. Enquanto lutava para se manter vivo, o garoto tentava, com a ajuda das pistas deixadas por seu pai, descobrir o que é a Singularidade... Um enigma? Uma maldição? Ou uma sentença de morte?

Siga cada movimento de Callum nessa jornada - em que um passo em falso pode também ser o último. Não perca Janeiro, o início de uma trama cheia de ação, suspense e mistério.

Não pisque! Não se esqueça de respirar!

"Fique longe deles, Callum. Eles mataram seu pai. A Singularidade Ormond... Esconda-se pelos próximos 365 dias!

Callum Ormond é um jovem de 15 anos que acaba de perder o pai para uma doença misteriosa, aparentemente causada por um vírus. Ainda estudando, mas também tendo que trabalhar para manter a família – sua irmã e mãe –, ele se vê dentro de um mistério ainda maior quando é abordado por um suposto louco na rua, dizendo que seu pai fora morto e mencionando a Singularidade Ormond. Além disso, ele é avisado: “Esconda-se pelos próximos 365 dias!”.

A princípio, Callum não leva nada disso a sério, mas quando fatalidades começam a ocorrer com ele, pondo sua vida e a de seus familiares em risco, passa a repensar se aquele homem não tinha razão. E a trama começa a ficar ainda mais misteriosa quando seu tio, irmão gêmeo de seu falecido pai, parece querer esconder pistas que podem levar à solução de tudo. Preciso confessar, não gostei do homem desde o princípio. Tentando resolver a situação, o protagonista começa a ser perseguido por pessoas perigosas, de diferentes grupos.

Não posso falar muito mais do que isso, pois o livro é curto (só 141 páginas) e possui muitos outros volumes – são 12 livros no total, todos já publicados pela Editora Fundamento, e ainda há cerca de 5 livros que contam os momentos após os 365 dias (o que faz supormos que Callum conseguirá sobreviver a este período, o que não quer dizer que não haverá surpresas). Narrado em 1ª pessoa, está disposto na forma de um diário, no qual os capítulos são os dias do mês de janeiro, e os capítulos são subdivididos em horários nos quais algo relevante acontece.

A história em si traz cada vez mais elementos surpreendentes e misteriosos, que fazem a tensão aumentar, especialmente no final deste volume, e não são solucionados nestas páginas. Logo mais publicarei a resenha de Fevereiro, já lido. 





Top Autor #1: Abraham "Bram" Stoker

Bram Stoker

      OAcciers,

      Coluna nova como eu já havia anunciado no post anterior. Queria começar em novembro com um escritor que eu admiro demais, fã incondicional de sua obra: Bram Stoker, o aclamado autor do vampiro Conde Drácula.


      Hoje posto um pouco de sua biografia, e durante as próximas semanas postarei mais sobre sua vida, obras e curiosidades. Portanto o Top Autor não será apenas um post, mas uma sequência durante o mês de homenagens e aclamações ao autor escolhido.

      Abraham Stoker nasceu em 8 de novembro de 1847, em Clontarf, Dublin, Irlanda. Terceiro filho de um total de sete irmãos, sofreu nos primeiros anos de sua vida com uma saúde frágil que o impedia de até mesmo de se locomover. Neste período, o jovem Bram Stoker passava seu tempo ouvindo histórias de sua mãe e lendo compulsivamente livros e contos de terror sobrenaturais, fase que contribuiu muito para o seu desenvolvido criativo. 

      Aos 15 anos de idade ingressou no tradicional Trinity College de sua cidade natal e, mesmo com a saúde vulnerável, dedica-se com êxito às atividades esportivas. Imerso no ambiente acadêmico e intelectual, o jovem Stoker passou a integrar a chamada Sociedade Filosófica, onde teve a oportunidade de produzir um ensaio intitulado "Sensationalism in Fiction and Society". Posteriormente, ainda viria a ocupar a função de auditor da Sociedade Histórica e a presidir a Sociedade Filosófica. 

      No ano de 1866, Stoker, assim como seu pai, passou a trabalhar no funcionalismo público no castelo de Dublin. Formou-se em matemática em 1870, mas, mesmo graduado, dá continuidade aos estudos diariamente por meio período. O interesse de Stoker pelo teatro levou-o a oferecer-se voluntariamente como crítico do jornal Dublin Evening Mail. Suas críticas inteligentes e embasadas elevaram seu nome junto aos meios sociais, artísticos e intelectuais da cidade. Assim, passa a conviver com personalidades influentes chegando a conhecer Oscar Wilde, Arthur Conan Doyle e William Butler Yeats

      No ano de 1873, foi convidado a assumir a editoração do jornal Irish Echo (que mais tarde seria rebatizado como Halpenny Press), trabalhando sem remuneração salarial e por meio período. Entretanto, o impresso não obteve o sucesso esperado e Stoker abandonou a atividade no ano seguinte. 

      A partir deste momento, passou a produzir os seus primeiros contos e peças ficcionais que eram publicados em jornais da cidade. "The Chain of Destiny" foi seu primeiro trabalho na linha do terror sobrenatural, publicado em 1875 no periódico Shamrock. 

. Regresso e Top Autor .



Olá Acciers ;)

A vida de blogueiro não é fácil, rs. Quando sua rotina vira uma exaustão e uma correria você precisa criar prioridades, e infelizmente o blog sofre com isso, pois é um hobbie e não uma fonte de renda. Como professora tenho planos de aula, planejamentos, provas, diários de classe para organizar. É uma loucura, mas me sinto culpado pelo tempo que não dou atenção ao Accio e aos leitores;




Mas novamente voltei, e pretendo voltar todas as vezes quanto forem necessárias :)

E voltei com uma nova ideia, criando um Top Autor! Será um por mês, vou falar um pouco sobre o autor ou autora escolhido, suas obras e resenhas dos mesmos. Mas não tudo de uma vez, será um post por semana dedicado ao Top Autor até fechar o mês.

E a escolhida para este mês já foi selecionada. Logo mais eu conto!

Resenha: As Brumas de Avalon - A Senhora da Magia

  • Editora: Imago
  • Autora: Marion Zimmer Bradley
  • Páginas: 248
  • Titulo Original: Mistress of Magic
  • Nota: 
  • Skoob

A Senhora Da Magia

Sinopse:
Neste enorme e emocionante romance, a lenda do rei Artur é contada pela primeira vez através das vidas, das visões e da percepção das mulheres que nela tiveram um papel central. Igraine, Viviane, Guinevere, Morgana. Elas revelam, com as suas vidas e sentimentos,a lenda de Artur, como se fosse nova de, ao mesmo tempo, levam o leitor a integrar-se na história, de maneira natural e profunda. Assim, esta obra proporciona uma narrativa soberba de uma lenda, e a recriação dessa lenda, bem como a brilhante contribuição para a literatura do ciclo arturiano.





Escrito em 1979 pela americana Marion Zimmer Bradley é uma obra que retrata a história do Rei Arthur, porém do ponto de vista das mulheres da época, e não dos personagens que tradicionalmente são os protagonistas.
Bradley nasceu em Albany, Nova Iorque, na década de 30. Esse foi o período da quebra da bolsa, então seus pais não tinham recursos para poder oferecer uma educação de qualidade. Trabalhou desde muito pequena como garçonete e faxineira, sua paixão pela escrita teve início no seu aniversário de 16 anos, quando ganhou de presente da sua família uma antiga máquina de escrever. Para manter sua família teve que se tornar uma escritora de sucesso fácil, escrevendo contos de sexo e sensacionalismo para revistas da época, chegando a se associar a um grupo de ativistas lésbicas, o Daughters of Bilitis.
Ao escrever As Brumas de Avalon Bradley atingiu o reconhecimento mundial, sendo uma das autoras mais lidas do mundo. Escreveu depois alguns livros seguindo o mesmo estilo literário, porém nenhum fez tanto sucesso como As Brumas de Avalon.
O primeiro livro da séria retrata, principalmente, as sub-tramas de Viviane, Igraine e Morgana.
Viviane é a Senhora de Avalon, uma ilha onde é pregada a religião Celta que muitas vezes no decorrer do livro entra em conflito com o cristianismo. Avalon é tratado como um mundo perdido, onde só se entra se você souber o caminho ou estiver acompanhado de quem sabe, sendo impossível encontrar por vontade própria. É vista como sendo a própria encarnação da deusa mãe, embora seu corpo seja pequeno e frágil, utiliza-se da magia para impor sua presença assim respeitada por todos.
Igraine é irmã de Viviane. Foi entregue em casamento para o Duque da Cornualha contra a sua vontade. O livro começa retratando o seu casamento. Ela é espancada e humilhada pelo seu marido durante algum tempo, porém, acaba traindo-o com o futuro rei e, no fim das contas, acaba se tornando uma rainha.
Mostra-se no começo da história sendo uma personagem muito incerta sobre qual religião deve acreditar e como se deve comportar, pois seu marido mais velho é católico e ela é descendente de Avalon. Mesmo não sendo criada como discípula em Avalon, chega a utilizar da magia do seu povo, mas depois acaba se tornando uma cristã e após a morte de seu segundo marido, acaba por viver em um convento.
O Duque, no começo, respeita as opções da mulher, mas no decorrer da história essa atitude muda após uma espécie de assembléia para a escolha do novo grande-Rei. Igraine conhece Uther Pedragon, um jovem guerreiro que sobre influencias de Viviane e de Merlin acaba de apaixonando por Igraine. Morgana, também muito apresentada como Morgana das Fadas, é filha de Igraine e o velho Duque. É criada por Viviane na ilha de Avalon.
O final do livro se concentra em Morgana, a qual se torna sacerdotisa da deusa mãe e serve a Igraine. Entrega a sua virgindade em um ritual onde o novo rei deve fazer o casamento com a terra, mas o que ela não sabia é que o novo rei é o seu irmão.
Revoltada com Viviane o livro termina com Morgana deixando a ilha de Avalon, depois de acabar recebendo conselho do povo das fadas, em um outro mundo que acaba indo por acaso.
Muito interessante o modo que é contada a história, estamos acostumados a sempre ler fatos históricos, sejam eles fictícios ou não, pelo ponto de vista masculino. Na realidade existem poucas histórias que o protagonista é uma mulher. Essa mudança de perspectiva nos dá uma nova idéia de como os fatos ocorreram, existem várias sub-tramas que envolvem a história original do livro.
Os homens da história são os que fazem parte das atitudes que irão definir o rumo da história, mas isso é posto de uma forma tão tênue e discreta que parece que as mulheres conduzem as decisões masculinas, e não o tradicional de se ter as mulheres como apenas um apoio para a história principal, a que realmente interessa.
Retratando praticamente todas as incertezas e medos femininos, Bradley conseguiu escrever uma história nova, baseada em uma história bem antiga. Recheado de conflitos de religiões e de opiniões adversas é um livro bem agradável, não é um livro fastfood, é necessário tempo para interpretar cada página. Recomendo a leitura não só pela história que é fascinante, mas também pelo estilo peculiar.

Resenha: O Clã dos Magos (Trilogia do Mago Negro)










  • Editora: Novo Conceito
  • Autora: Trudi Canavan
  • Páginas: 448
  • Titulo Original: The Black Magician's Guild
  • Nota: 
  • Skoob


Todos os anos, os magos de Imardin reúnem-se para purifi car as ruas da cidade dos pedintes, criminosos e vagabundos. Mestres das disciplinas de magia, sabem que ninguém pode opor-se a eles. No entanto, seu escudo protetor não é tão impenetrável quanto acreditam. Enquanto a multidão é expurgada da cidade, uma jovem garota de rua, furiosa com o tratamento dispensado pelas autoridades a sua família e amigos, atira uma pedra ao escudo protetor, colocando nisso toda a raiva que sente. Para o espanto de todos que testemunham a ação, a pedra atravessa sem dificuldades a barreira e deixa um dos mágicos inconsciente. Trata-se de um ato inconcebível, e o maior medo da Clã de repente se concretiza: uma maga não treinada está à solta pelas ruas. Ela deve ser encontrada, e rápido, antes que seus poderes fiquem fora de controle e destruam a todos.




Sonea é uma garota criada nas favelas de Imardin, capital do reino de Kyralia. Como todo favelado, a menina cresceu odiando os magos, o Rei e os nobres. Esse ódio é fundamentado pela purificação: Uma vez ao ano, o Clã envia alguns de seus magos, a mando do Rei, para expulsar os pedintes, favelados e os pobres da cidade levando-os novamente para as favelas. É comum que algumas pessoas morram pisoteadas durante a purificação. Sonea cresceu vendo o horror que a purificação causa. Viu pessoas sendo pisoteadas e quando finalmente conseguiu sair das favelas e migrar para a cidade, ela e sua família são expulsos durante esse evento.

Enquanto migra novamente para a favela, Sonea reencontra velhos amigos, rapazes envolvidos em pequenos crimes, comandados por Harrim e Cery, melhor amigo de Sonea. Todos os anos, durante a Purificação, a gangue de Harrim se reúne para apedrejar os magos. As pedras batem no escudo protetor mágico e viram pó, mas para os que estão sendo expulsos soa mais como um ato de rebeldia, para mostrar que não concordam com essa atitude. Enchendo-se de raiva e mágoa e movida pelo desdém visto nos olhos de alguns magos, em especial pelo sorriso escarnecedor de um mago, Sonea atira sua segunda pedra, desejando, com toda sua raiva, que ela atingisse a cabeça desse mago. A pedra atravessa o escudo, atinge a fronte do mago e modifica a vida de Imardim.
A partir desse momento o leitor é levado pelos esconderijos das favelas, onde Sonea tenta se esconder do Clã. Os magos realizam buscas por todos os locais atrás da favelada que realizou magia. Movidos por impulsos diferentes, vemos os magos Rothen, seu antigo aprendiz Dannyl, e Fergun empreenderem grandes esforços para achar Sonea. Enquanto uns buscam por ela, outros discutem se realmente querem uma garota selvagem manchando a reputação do Clã. Até o aparecimento de Sonea, apenas os filhos das Casas abastadas se tornavam magos. A mando do Lorde Supremo, eles devem caçar e ensinar Sonea a dominar seus poderes e então fazê-la se unir ao Clã, ou voltar a favela com seus poderes bloqueados.
A minha impressão é que A Trilogia do Mago Negro é tão boa quanto Harry Potter; vou explicar o porquê, enquanto HP é mais infantil e vai evoluindo sua narrativa conforme Harry cresce, a trilogia criada por Trudi Canavan já começa como um thriller de ação, mistério e disputas políticas, sem esquecer o romance, que ao meu ver, vem na dose exata.
Realmente fiquei envolvida na narrativa. Senti-me como Sonea, fugindo dos magos, me misturando com ladrões e me envolvendo com o mago Rothen – personagem que definitivamente merece destaque. Trudi construiu personagens centrais que dão pano pra manga, ou seja, há mais por trás das aparências do que é revelado. Rothen é um dos poucos magos que desde o incidente na Purificação defende que Sonea deve ser aceita e treinada pelo Clã, ele olha para a garota e não vê uma criatura sem alma, ao contrário, ele acha que Sonea trará uma grande revolução dentro do Clã.
Apaixonei-me pelo livro. Quero muito ler a continuação e saber como será a reação dos personagens com a evolução dos poderes de Sonea (principalmente a de um personagem em especial me encantou, além de Rothen, é claro). 
Assista ao Book Trailer do livro:


Resenha: Esconda-se

  • Editora: Conceito
  • Páginas: 400
  • Titulo Original: Hide
  • Nota: 
  • Skoob

Uma mulher que foi obrigada a fugir — desde criança — de uma possível ameaça. Uma ameaça que seu pai via em todo lugar, mas que a polícia nunca considerou. Um antigo e desativado sanatório para doentes mentais que pode ter muito mais a esconder entre suas paredes do que homens e mulheres entorpecidos por remédios. Uma história de rancor entre membros de uma mesma família que nunca conseguiram superar os episódios de violência doméstica que presenciaram. Um pingente que foi parar em mãos erradas — e a cena de um crime brutal: seis meninas mortas e mumificadas há mais de trinta anos. Agora, cabe à famosa detetive D.D. Warren descobrir quem foi o serial killer que cometeu esta atrocidade e que motivação infame deformou sua mente. Acompanhe D.D. Warren na solução de mais este complexo caso e encontre o inimaginável que está por trás de pessoas aparentemente comuns!



Lisa Gardner possui uma capacidade incrível de criar casos complexos e manter o suspense do começo ao fim. Você realmente não tem a chance de acertar no ponto e desvendar quem de fato é o assassino antes que a própria autora o revele para você. Nesse livro, particularmente, você vai se surpreender! Lisa cria uma rede intrincada de pistas que aparentemente não possuem nada em comum, e a polícia precisa seguir diversas linhas de investigação antes que as coisas comecem a se encaixar em seus lugares.

Uma câmara subterrânea encontra-se em um hospital psiquiátrico há muito desativado. Dentro da câmera, os corpos mumificados de 6 menininhas. Um crime claramente brutal que afeta até mesmo os policiais treinados do departamento de Boston e que coloca a mídia e o estado na cola de D.D. Warren na expectativa de que ela descubra o responsável e ele pague pelo crime que perdura anos. Acontece que não será tão fácil: um hospital psiquiátrico é o palco perfeito para dezenas de possíveis suspeitos. Além disso, a mumificação dos corpos impede que eles sejam prontamente analisados, e os detetives terão de lutar com as pistas que tem, atirando para todos os lados na esperança de que algo os revele a verdade ou os coloque na direção certa. 

Além do departamento de polícia, existe uma mulher, uma jovem que vive em um pequeno apartamento e que possui por companhia apenas os seus tecidos, uma cachorra que é a sua melhor amiga e o medo constante que espreita através das janelas e porta. Tudo o que ela possui é uma identidade falsa e as lembranças de um passado de fugas. Desde criança, ela e a família fogem de uma ameaça que seu pai via em todo lugar, mas que a polícia nunca considerou. Agora, seu pai e sua mãe estão mortos e ela vive sozinha, sem saber se realmente há alguma coisa lá fora ou se o seu pai era apenas um louco desvairado e nunca houve de fato uma ameaça a ser considerada. Mas tudo muda quando a mídia noticia a descoberta de uma câmera subterrânea com seis corpos mumificados de menininhas. Uma das quais leva um pingente com o nome de Annabelle. Annabelle Granger. Seu nome. 

Suspense do início ao fim e uma revelação que de longe não decepciona. Você pode até imaginar ter solucionado o crime do meio para o final do livro, mas eu garanto: vai se surpreender! O vilão aqui é astuto e inteligente e sempre parece estar um passo a frente em relação aos policiais do departamento de homícidios de Boston. Acho incrível como Lisa Gardner consegue tirar da cartola os caras mais impensáveis e transformá-los em vilões de tirar o chapéu. Amei esse livro e se você ainda não leu nada dela, sinceramente, o que você ainda está esperando? Corre ler!


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...